Receba nossas atualizações

redacaonacional

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© Todos os direitos reservados para Milly Comunicação e Marketing. Orgulhosamente criado por admovan criações

  • Redação Nacional

"Assumiu o Risco": Nota do Comando Geral da Polícia Militar da Bahia


O Comando Geral da Polícia Militar da Bahia (PMBA) informa que as declarações do comandante da 15ª CIPM já estão sendo tratadas internamente e ressalta que, em nenhuma circunstância, uma vítima deve ser culpabilizada. A Polícia Militar da Bahia tem como missão cuidar das pessoas e, para isso, realiza o policiamento ostensivo com o objetivo de prevenir o cometimento de crimes. 


A PMBA lamenta profundamente o crime cometido contra o casal de turistas e se solidariza com as vítimas, bem como reafirma o compromisso de fazer o melhor sempre para garantir a segurança de baianos e turistas. 


Comandante da 15ª CIPM pede desculpas


O tenente-coronel Eurico Filho Silva Costa, comandante da 15ª Companhia Independente da Polícia Militar (Itapuã), pediu desculpas pelas declarações na tarde desta sexta-feira (10). “Peço desculpas se fui mal interpretado pelas minhas declarações. Como policial militar, nunca defendi culpabilização de vítimas. Não seria diferente no caso absurdo envolvendo turistas em Salvador. Meu respeito e total solidariedade às vítimas de uma cruel violência contra as mulheres. Continuarei na trincheira em nome da segurança da sociedade e sendo intolerante contra qualquer tipo de violência”, falou o comandante.


ENTENDA O CASO


Coronel da PM culpa turista que foi estuprada: “Assumiu o risco”


Após uma jovem de 19 anos ser estuprada em uma praia de Itapuã, em Salvador (BA), o coronel Eurico Filho Silva Costa, comandante da 15ª Companhia Independente da Polícia Militar, afirmou que a turista piauiense teve contribuição no crime. “Ela assumiu o risco”, disse Costa. A informação é do jornal Correio.

Para o coronel, a jovem errou quando se dispôs a ir a uma “praia deserta”, tarde da noite. “Foi um comportamento de risco. O que uma pessoa vai fazer numa praia deserta das 19h às 23h, quando ocorreu o estupro? Vai fazer o quê?”, declarou Costa.

Segundo o militar, a PM não pode ser responsabilizada pelo crime. “Trabalhamos constante na região, mas não temos efetivo para garantir a segurança somente daquelas pessoas que estavam naquele horário, num local onde não havia ninguém”, avaliou .


" O jornalismo tem o papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.


Esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.


Mas para isso, nós precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos."


Copyright © 2019, Redação Nacional. Todos os direitos reservados

40 visualizações