• Redação Nacional

Greve: Motoristas e Cobradores aderem a greve ônibus parado em Salvador nesta sexta-feira


Quem precisar de ônibus nesta sexta-feira (14) em Salvador não terá disponível os veículos convencionais. Nenhum dos cerca de 2,7 mil veículos da frota regular está nas ruas segundo informações confirmadas pelo Sindicato dos Rodoviários do Estado da Bahia. Os representantes do sindicato informaram que estão nas garagens das empresas informando aos motoristas e cobradores sobre a adesão ao movimento. 


Morador do bairro do Rio Sena, Gilvan Costa, 34 anos, trabalha na produção de tunéis no CIA, em Simões Filho e precisou aguardar num ponto de ônibus em Praia Grande desde às 6h da manhã pelo transporte que a empresa mandaria buscá-lo. 


"A empresa avisou que mandaria um Uber. Estou aguardando desde 6h aqui em Praia Grande. Eu já estava ciente que não teria ônibus hoje. A empresa acertou comigo ontem mesmo para aguardar no local marcado. Vou aguardar, se nao aparecer nada eu vou para casa porque não tenho como pagar um transporte mais caro até lá", disse.


Em função da adesão  Prefeitura de Salvador autorizou a circulação de 300 micro-ônibus do Sistema de Transporte Especial Complementar (STEC), os 'amarelinhos'. De acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), a estratégia foi adotada para suprir a demanda de transporte da população.


Os micro-ônibus vão operar em roteiros específicos da cidade: Avenida Silveira Martins, Castelo Branco, Cajazeiras, Boca da Mata, Suburbana, Orla e Centro, tendo como principais destinos as regiões da Lapa, Ribeira, Iguatemi, Pituba e Itaigara. Por se tratar de uma operação especial, os veículos vão operar com itinerários flexíveis, de acordo com a demanda.


Além disso, a Semob autorizou a circulação de pelo menos 800 veículos do Transporte Escolar e do Transporte Turístico, que rodarão sem alteração no valor da tarifa, no valor de R$ 4.



Anderson tenta chegar no trabalho * Foto: Eduardo Dias


Anderson da Cruz, 23 anos, trabalha como carregador numa distribuidora de mercadorias em Fazenda Coutos há dois anos e nove meses. Ele decidiu aventurar no ponto na esperança de passar um ônibus para ir trabalhar. "Estou esperando o 'amarelinho' ou o carro que a empresa colocou no roteiro, mas está demorando muito, porque ainda está passando em outros bairros.


Meu horário de trabalho normalmente é às 9h, mas como está essa situação hoje, me colocaram para pegar maia cedo, às 7h. Vou aguardar até passar um carro, não posso perder o dia. Ele avisaram que o importante é ir, depois ajustavam as horas. A parte ruim é so que eu ja estava acostumado a acordar mais tarde para oegar 9h, hoje acordei muito cedo", contou.

De acordo com a Central Única dos Trabalhadores (CTB), os microônibus metropolitanos também aderiram à greve.


De acordo com a Semob, a paralisação dos rodoviários nesta sexta ocasionará uma multa por "descumprimento de obrigação essencial dos contratos de concessão". O valor da multa é de R$ 1,120 milhão por cada dia paralisado, dividido entre as três empresas do Consórcio Integra.


“Os serviços devem estar continuamente disponíveis aos usuários, não podendo ser usado como justificativa greve de trabalhadores, comoções sociais ou protestos públicos que inviabilizem a prestação dos serviços ou reflitam no aumento de custo”, disse a Semob por meio de nota.


Redação Nacional / Correio

0 visualização

Receba nossas atualizações

redacaonacional

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© Todos os direitos reservados para Milly Comunicação e Marketing. Orgulhosamente criado por admovan criações