• Redação Nacional

Pesar e Saudade, Paulo Henrique Amorim, colegas de trabalho lamentam sua morte

Atualizado: 11 de Jul de 2019


Jornalistas e colegas de trabalho lamentaram a morte do jornalista Paulo Henrique Amorim nesta quarta-feira (10). Amorim estava em casa, no Rio de Janeiro, quando sofreu um infarto fulminante.


O jornalista Michael Keller, em entrevista à Record TV, descreveu Amorim como um jornalista grandioso. “Uma pessoa polêmica? Sim! Mas ninguém pode tirar a contribuição dele. Ele era um homem do contraditório. Um homem muito contundente, mas ele também ouvia quando a gente falava”.


“A gente chegava na rua para gravar matéria e todo mundo reconhecia que a gente era do programa do Paulo Henrique Amorim", disse Keller ao descrever a popularidade do famoso bordão "olá, tudo bem".


Já Afonso Mônaco, que foi colega de trabalho do jornalista na Band e na Record TV, afirma que até agora não “caiu a ficha sobre a morte do amigo”. "Ele foi meu chefe e meu colega e não tem o que falar dele a não ser que bem", lamentou.


A apresentadora Ana Hickiman falou da amizade e consideração por Amorim. Ela também contou do seu primeiro convite para trabalhar na TV como colunista do programa Tudo a ver: “foi ele quem deu a minha primeira oportunidade”.

Ela ainda disse que na época ficou muito assustada com o convite. “Como um grande jornalista como você pode convidar uma modelo para fazer a TV? Ele disse que acreditava em mim”, relembrou emocionada.


O jornalista Paulo Henrique Amorim morreu, na madrugada desta quarta-feira (10), aos 77 anos. O jornalista deixou o legado para a comunicação brasileira. Trabalhava na Record TV desde 2003. 

Paulo Henrique Amorim com sua filha Maria. Na televisão, passou pela extinta TV Manchete e pela TV Globo, também como correspondente internacional em Nova York.


A apresentadora Ana Hickmann se emocionou com a notícia sobre a morte de Paulo Henrique Amorim. Segundo ela, foi Amorim quem lhe deu a primeira oportunidade para a nova carreira de apresentadora. "Ele costumava dizer que para ser uma boa apresentadora é preciso ser, antes de mais nada, uma boa repórter."

O jornalista era dono de uma das personalidades mais fortes e marcantes da televisão brasileira. Amorim deixa uma filha e a mulher, a jornalista Geórgia Pinheiro.

Foto: Folhapress/ 27/09/1996


Redação Nacional


49 visualizações

Receba nossas atualizações

redacaonacional

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© Todos os direitos reservados para Milly Comunicação e Marketing. Orgulhosamente criado por admovan criações