• Redação Nacional

Simões Filho: Prefeito Dinha, em último ato, publicou Decreto com mais de 3.000 exonerações

Simões Filho: Cidade da RMS - Região Metropolitana de Salvador, ao longo dos seus primeiros 4 anos de Governo, como um mantra, sempre foi repetida a informação de que o prefeito Diógenes Tolentino Oliveira - MDB, por ter responsabilidade na condução da administração do município de Simões Filho, não demitiu servidores nomeados. Essa frase sempre foi utilizada, para atacar seu principal adversário político, o ex-prefeito e Deputado Eduardo Alencar.


Entretanto, por ironia do destino, o prefeito reeleito, nas eleições realizadas no último dia 15 de Novembro, quebrou a escrita, com a assinatura e publicação no DOM - Diário Oficial do Município, nas Edições de número 4870 e 4871/2020, no último dia 30 de dezembro 2020, o DECRETO Nº 786 Exonerando os servidores ocupantes dos Cargos de Provimento Temporário de Agente Político e Superintendente da Estrutura Organizacional da Prefeitura Municipal de Simões Filho, e DECRETO 787/2020, Exonerando Servidores de Cargos de Provimentos Temporários.


AUSTERIDADE ADMINISTRATIVA...?


Os munícipes, emprestariam apoio à essa medida, pois indicaria que o prefeito, seria mais cuidadoso com as finanças do município, neste seu segundo mandato e considerariam como acertada a medida adotada pelo líder do poder executivo, de Simões Filho, ao Decretar Que:


Ficam exonerados, a partir de 31 de dezembro de 2020 a partir das 17:00h, os servidores ocupantes dos Cargos de Provimento Temporário de Agente Político e Superintendente da Estrutura Organizacional da Prefeitura Municipal de Simões Filho, integrantes do Anexo Único deste Decreto. Art. 2º - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.


Desde a referida publicação, a Prefeitura Municipal de Simões Filho, oficialmente, é composta pelo seu quadro de Servidores Efetivos, pelo Prefeito e o Vice- Prefeito e Secretários recentemente nomeados.


O PREFEITO MUNICIPAL DE SIMÕES FILHO, amparou-se no fundamento no Inciso VI, do Artigo 66, da Lei Orgânica do Município


Se mantida essa, corajosa e inédita medida de austeridade, seria bem provável supor que o município teria mais recursos para investir na Saúde, Transporte, Mobilidade, Ações Sociais, Educação, Segurança, Mobilidade, e tantas outras necessidades, urgentes, que não são implementadas diante da permanente falta de recursos. Forçando a administração a recorrer junto aos Bancos Federais de sucessivos empréstimos para financiar suas principais promessas de campanha: Reforma do Mercado Municipal, Colégio Padre Lués Palmeira e Enock Pimentel, Estádio Municipal Edgard Santos.


Não tratou-se, portanto, ou simplesmente de mais 2 ATO ADMINISTRATIVOS, o prefeito, deve ter planejado, astutamente, a utilização desta manobra quando mantinha o discurso, conveniente de que não havia lista de demissões ao termino de cada novo exercício fiscal durante o seu primeiro governo.


MEDIDA PREVENTIVA CONTRA COVID19 (???!!!!)


Alguns dos exonerados, já estão tranquilos. Uma vez que já foram reconduzidos aos seus cargos no primeiro escalão. Mais a grande massa, está DESCANSANDO, uma vez que o GESTOR, em um ato de extrema bondade natalina assinou o Decreto 788/2020, contendo de forma excepcional, sob o argumento de que deve-se evitar a movimentação de pessoas na PMSF, na primeira semana do mês de Janeiro/2021, ou seja, as repartições públicas entre 04 a 08 de janeiro, estarão seus funcionários em PONTO FACULTATIVO.


Os exonerados, mais de 3.000, não poderão verificar se permanecem ou não prestando serviços à administração da Boa Terra Boa Gente, somente à partir de 11 de Janeiro 2020 é que a vida voltará ao normal, ou não, dependendo do apadrinhamento político ou da vontade do Líder, sua Excelência o Prefeito.


O Pitoresco deste DECRETÃO de EXONERAÇÕES é verificar que estão em epigrafe os decretos de nomeações à partir de 2017 ate 2020, sendo publicado tão somente o número, ficando, em um primeiro momento impossível identificar quais são os servidores exonerados. Atrapalhando consideravelmente a transparência e o acesso à informação.


O prefeito Diógenes Tolentino Oliveira, persistiu até conseguir a sua aprovação nas urnas, para comandar o Poder Executivo, em Simões Filho, elaborou com perfeição o projeto PENSA SIMÕES FILHO, usou de todas as ferramentas, artifícios para alcançar a reeleição, também saiu-se, vencedor. Só falta de fato, apresentar um governo verdadeiramente de mudança.


Desde 2017, tem como principal ação, cooptar as supostas lideranças políticas, vinculadas ao seu principal adversário - Deputado Eduardo Alencar, além das Lideranças de Bairro e Associações historicamente vinculadas ao ex-prefeito. Porém, tal estratégia, lhes tem causado perdas de importantes e históricos apoiadores, os resultados, nos próximos pleitos eleitorais trará, de fato, um indicativo sobre o acerto, ou não de tal estratégia.


A exoneração em massa, dependendo de como serão realizadas as futuras nomeações, poderá ser a sua primeira dor de cabeça após as eleições 2020, pois àqueles que não retornarem aos seus cargos e com melhores proventos não ficarão com o sentimento de houve a tal valorização pelo trabalho e apoio político.


Fonte: Redação Nacional

"O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Mas para isso, nós precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos."

1.026 visualizações0 comentário